“A vida é breve, e precisamos aproveitar os minutos que dispomos para o Único Necessário.” Mãezinha

No dia 02 deste mês, o papa Francisco encerra o Ano dos Consagrados, para o qual ele pediu três atitudes: olhar com gratidão o passado, viver com paixão o presente e abraçar com esperança o futuro.

Três atitudes a serem vividas não só pelos religiosos, mas por todo cristão, pois todo batizado é um consagrado a Deus Trindade, e a consagração religiosa nada mais é do que uma forma de radicalizar esta mesma consagração batismal.

No fundo, são posturas básicas de uma pessoa que vive a fé, a esperança e o amor; posturas básicas de quem caminha na santidade. Posturas que víamos constantemente na vida de Mãezinha e que ela empenhava em transmitir. Tinha olhos de fé, e por isso, via em tudo a ação de Deus que, mesmo no sofrimento mais incompreensível, tudo conduz para o Bem; tinha um amor apaixonado por Jesus e pelo ser humano, e por isso era tão humana, acolhedora, misericordiosa... e firme, pois “o amor é exigente!” Por fim, era um ser que vivia de esperança: esperança operosa aqui, construindo o Carmelo sem meios financeiros, enfrentando a doença, e na certeza do Céu: “A vida é breve, e precisamos aproveitar os minutos que dispomos para o Único Necessário.” (Mãezinha)

↑ Voltar ao topo