Misericordiosos como o Pai

Mãezinha cercada por amigos e benfeitores no dia da transladação do Carmelo

 “Precisamos sempre de contemplar o mistério da misericórdia. É fonte de alegria, serenidade e paz. É condição da nossa salvação. Misericórdia: é a palavra que revela o mistério da Santíssima Trindade. Misericórdia: é o ato último e supremo pelo qual Deus vem ao nosso encontro. Misericórdia: é a lei fundamental que mora no coração de cada pessoa, quando vê com olhos sinceros o irmão que encontra no caminho da vida. Misericórdia: é o caminho que une Deus e o homem, porque nos abre o coração à esperança de sermos amados para sempre, apesar da limitação do nosso pecado. (Papa Francisco – Bula Misericordiae Vultus, n. 2)

Neste mês reviveremos, o Mistério maior de nossa fé, a suprema revelação da Misericórdia Divina: a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus. Somos tão preciosos aos olhos de Deus, que Ele se doou totalmente a nós para resgatar-nos do pecado, de nossa vida auto-referencial e vazia, assumindo nossas culpas: “Por suas chagas, nós fomos curados!” (1Pe 2,24)

Dois versículos antes, na citada epístola, São Pedro exorta-nos a seguir os passos de Jesus (1Pe 2,21), sendo misericordiosos como Ele. Mãezinha assumiu este convite, e fez de sua vida uma oferenda a Deus pelos irmãos. Assumindo plenamente o título que lhe foi dado no início da fundação do Carmelo da Sagrada Família, foi uma mãe cheia de misericórdia. Assumiu a cruz de gerar e conduzir uma comunidade com pessoas de todos os tipos, amá-las, formá-las e conduzi-las a Deus. Tinha tamanha capacidade de acolhida e era tão cheia de misericórdia que ninguém tinha receio de se aproximar dela: pecadores, pobres, ricos, adultos, adolescentes, e até mesmo pessoas de outras confissões religiosas vinham se aconselhar com ela e pedir suas orações.

Tendo Mãezinha como prova de que é possível ser “misericordiosos como o Pai”, e pedindo sua ajuda, vivamos este mês sob a proteção de São José, abertos, receptivos e imitadores de Deus que nos salvou, por misericórdia.

↑ Voltar ao topo